fanzines de banda desenhada

sábado, janeiro 02, 2010

[R}Eject zine - Nº 2 e meio - Dezembro 08

Capa da autoria de Rechena

Que bom aproveitamento fez Andreia Rechena deste excerto de "Goodbye Blue Sky", dos Pink Floyd

"Projecto de uma bd adiada". E o resto, Petra Marcos?

Um acidente nunca vem só, bd de João Joalheiro
(É mesmo isso, JJ: além das moscas, tens o azar de esta imagem não ampliar, não consigo perceber porquê...)

Rechena (ou [R]Echena?, já agora :-) é uma das raras editautoras no nicho fanzinístico, e o seu zine começa a ser conhecido no nosso escasso meio faneditorial (mais um neologismo meu: se há faneditores...).

O conceito é original: quem tem alguma bd rejeitada, terá sempre o apoio desta faneditora e da sua pequena publicação, o fanzine Reject (uma espécie de ecoponto para fanzines).
Aliás, a Rechena também inclui coisas suas rejected, como é óbvio, e como acontece nesta edição, que fica com o número a meio (mais uma originalidade, aquela componente em que os fanzines são férteis).

Na capa, está a informação sobre qual a principal finalidade de haver este semi-número. Ele é, afinal, "A continuação do Reject zine #2, nº dedicado aos acidentes".

E a fazer jus ao tema base do zine, há uma curta bd (apenas duas pranchas) da editautora - que neste caso assina Andreia Rechena - cujo título é, portuguesmente, "Acidente", muito embora as legendas estejam em inglês.

De uma outra autora, a (adiada) Petra Marcos, pode ver-se uma sequência, tipo mangá, sob o título "Prancha de uma bd adiada". Conheci a Petra há dois anos no Festival de Beja, mas, dela, é a primeira amostra de BD que vejo.

Quanto ao João Joalheiro, e à BD, o texto é quase idêntico. Dele, "Um acidente nunca vem só", é o primeiro trabalho sequencial que vejo, uma bd autoconclusiva de prancha única.
E, todavia, pela amostra, fico com apetite para mais. A pureza de traço - no registo de linha clara - faz-me lembrar o estilo dos desenhos que dois autores meus conhecidos, Jorge Colombo e Pedro Morais, faziam há uns anos nos seus "sketch books" (com os quais costumavam andar). Até a legendagem tem semelhanças, e tenho a certeza, tanto quanto conheço o JJ, ele nunca contactou com qualquer dos dois citados autores, nem nunca viu desenhos ou bedês deles. A vida do João tem a ver com joalharia, e só por contacto com a namorada Rechena é que se vai entusiasmando a fazer uns desenhos, e agora esta bd
Um conselho ao João: ao assinar uma bd, não faz sentido escrever: POR João Joalheiro, basta o nome.

[R]Eject
Nº 2 e meio
Data da edição não indicada [Dez. 08]
Formato A5 - miolo (16 páginas) a preto e branco
Tiragem não indicada
Editora não indicada (no nº anterior era a "Senhora Dona Zarzanga", aka Andreia Rechena)
Local da edição não indicada [Lisboa]

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial