fanzines de banda desenhada

quinta-feira, julho 16, 2015

Lançamento do fanzine "Violência Electro-Doméstica"














Além da invulgaridade do título do fanzine - que remete para o título da banda desenhada que constitui o seu conteúdo, "Violência Electro-Doméstica" -, os seus faneditores Xavier Almeida e "Pato Bravo" (aliás, Bernardo Fachada) tiveram a inusitada ideia de fazerem o lançamento do Nº 2 do zine num local inédito e improvável, mas com fortes e antigas conotações alternativas: a Feira da Ladra.

Tratando-se de um mercado sui generis, muito apreciado pelos coleccionadores de tudo e mais alguma coisa, este popular local de Lisboa é bem apropriado para o lançamento de um fanzine, embora, que eu saiba, tal coisa nunca tenha acontecido antes do dia 18 de Julho de 2015, data memorável para o meio fanzinístico.

Portanto, no próximo Sábado, entre as 10h e as 16h, Xavier Almeida e "Pato Bravo" estarão com a respectiva banca cheia de exemplares do segundo número do fanzine junto ao muro do jardim que existe no local.
Eu, faneditor e fanzinéfilo, conto lá estar ao meio-dia.

Correspondendo ao pedido dos editores do zine, aqui fica o texto que elaboraram para o lançamento:


Após o estrondoso sucesso que fez esgotar em pouco tempo o primeiro episódio desta peculiar novela gráfica, eis que surge o segundo episódio de “Violência Electro-Doméstica”, com apresentação marcada para o próximo dia 18 de Julho na Feira da Ladra, em Lisboa, pelos autores Xavier Almeida e Pato Bravo (Bernardo Fachada).

Os acontecimentos misteriosos que marcaram o primeiro episódio deixaram no ar várias perguntas ao protagonista desta série: terá sido imaginação ou é mesmo verdade que o seu frigorífico ganhou vida própria para aterrorizá-lo? Que forças sobrenaturais são estas que dão vida a um electrodoméstico? Como resolver este problema, será que alguém vai acreditar nele?

No segundo episódio de “Violência Electro-Doméstica”, a primeira edição contará com uma impressão de 100 exemplares “de forma a disponibilizar ao público um formato menos dispendioso e que, esperamos, possibilite uma maior abrangência”, segundo Xavier Almeida, artista e coargumentista desta novela gráfica. “No entanto, iremos produzir 5 gravuras originais e numeradas”, prossegue. “Violência Electro-Doméstica” é feita integralmente pelos autores através da técnica de gravura de linóleo.



  



  


Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial