fanzines de banda desenhada

terça-feira, dezembro 16, 2014

Café Noir - Fanzine estrangeiro premiado







Café Noir é o tipo de fanzine de BD que, devido ao seu excelente nível gráfico - impresso em offset num papel couché de elevada gramagem - suscita sempre entre nós a tendência para a classificação de revista, ou seja, incluí-lo na área das publicações profissionais e/ou comerciais.

Para afastar quaisquer dúvidas, o Café Noir foi galardoado no grande festival francês de Angoulême, em 1989, com o Alph'Art destinado à categoria de "Melhor Fanzine" do ano, pormenor que foi posto em destaque no canto superior da capa, Prix du Meilleur Fanzine Angoulême 89.

Em Portugal, alguns editores amadores, a fim de evitar que seja classificado de fanzine a publicação que editam, obtêm o ISSN e o Depósito Legal, convencidos que com tais legalizações ela passa automaticamente a ser classificada como revista.

Ora o fanzine em apreço mostra, no canto inferior direito, o ISSN obtido, e na ficha técnica lá está indicado Depôt legal 1er trimestre 1989. Não obstante terem cumprido essas exigências legais, candidataram-se ao Alph'Art a atribuir ao melhor fanzine e foram os vencedores.

Note-se que o Café Noir é publicado pela Association Philactère, uma associação sedeada em Canteleu. Sublinho este pormenor porque, em Lisboa, chegou a criar-se uma associação com o intuito de evitar a classificação de fanzine à respectiva publicação por ela editada.

Todavia, sendo essa associação dirigida por amadores (embora profissionais, sim, mas de áreas diferentes), o conceito estabelecido, que define há décadas o que é um fanzine, é bem claro: uma publicação editada por um ou mais amadores, portanto não editores oficiais, ou por uma entidade cultural, associação ou colectividade, sem fins lucrativos.

O que nada tem de pejorativo, e é pacificamente aceite - até com orgulho cultural em áreas experimentais ou alternativas - em países de mais elevado nível cultural do que o nosso.

Então porquê essa quase fobia que subsiste por cá, essa permanente fuga à palavra, optando, algumas vezes forçadamente, em casos de edições bem modestas, pela outra de revista?

Talvez devido, por um lado, a ainda hoje - passados mais de quarenta anos pela edição do primeiro fanzine português, o Argon - ser escassamente conhecido o neologismo.
Se alguém disser, num meio alheio ao editorial amador, que está a editar um fanzine, poderá receber da parte do interlocutor, a pergunta algo irónica, "mas o que é isso de fanzine"?

Já assim fui questionado imensas vezes. Claro que acabo por explicar, mesmo que sucintamente, a etimologia do vocábulo, que se trata de um tipo de publicação - que pode ter até aspecto de objecto, mas mais habitualmente surge sob o formato de um magazine - editada por um amador ou um grupo, dedicada a um qualquer tema, sendo a banda desenhada, a música e a poesia os temas mais frequentes em Portugal. 
A edição é à custa de colaborações "pro bono", não persegue intenções de lucro, habitualmente tem escassa tiragem, sem periodicidade regular - e mesmo que a indique raramente a cumpre, por falta de verbas ou de tempo - e sem distribuição a nível nacional.

Claro que um faneditor individual, ou uma associação, em alguns casos, consegue uma produção de qualidade. Foi o que aconteceu com o Café Noir, e é visível um certo orgulho no texto introdutório ao lado do Sommaire, onde é referido um anterior prémio, o "Phenix", recebido em Audincourt, e agora (em 1989) um novo galardão, o "Alph'Art".
Um orgulho perfeitamente compreensível.


Imagens que ilustram a postagem:
1. Capa do fanzine 
2. Página com índice, ficha técnica e editorial
3. 2ª prancha da bd "Fort Comme La Mort", de Gallas e Gré
4. Prancha inicial da bd "A L'Ouest", de Jans
5. Entrevista com Paul Gillon
6. Continuação da entrevista, com reprodução de prancha da bd "Fils de Chine", a mostrar os inícios de Gillon, sob argumento de Roger Lécureux, e uma biografia de Paul Gillon
7. Prancha da bd "Le Grand Silence", de Crépel e Grée 

Café Noir
Nº5 - Printemps 89
Preço: 25F - 175FB
Nº de páginas: 68
Formato: A4 - 21x29,7cm
Capa a cores,miolo a preto e branco           

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial