fanzines de banda desenhada

terça-feira, junho 27, 2006

24h Volta a Portugal em BD - s/nº - Maio 06

Capa do fanzine 24h Volta a Portugal em BD

Um fanzine que junta um numeroso grupo de autores/artistas da banda desenhada, cada um deles realizando prancha alusiva a uma terra portuguesa: Aldeia de Monsanto, Serra de Monchique, Avanca, Faro, Mértola, Coimbra, Lisboa, Alverca, Matosinhos, Ilha do Pico, Ilha de Porto Santo, Braga, Vilamoura, Castelo de Vide, Tavira, Lousã, Castro Marim, Granja, Olhão, Abrantes, e alguns locais específicos, tais como Serra da Estrela, Ria de Aveiro, Belém (Lisboa).

Na maior parte dos casos, trata-se de colaborações de novos autores: Andreia Rechena, Paulo d'Alva, Leonel Perna, Alexis, Diogo Carvalho, Nuno Sarabando, Hugo de Jesus (como argumentista), Paulo Fonseca, Alex, Nuno Rodrigues e João Pereira, Xavier de Almeida, Luís Correia e Segme, Diana Waldschreck, Miguel Saiai, Jeffrey Ferreira, David Rafael Silva, Leonel Perna, João Jantes e Roberto Macedo Alves.

Mas aparecem excepções de nomes já com prestígio - uns com bastante, caso de José Carlos Fernandes, outros com significativa obra publicada em fanzines e publicações variadas, como acontece com Phermad, Derradé, João Mascarenhas, Serafim, Teresa Câmara Pestana e Carlos Rocha.

Por trás desta curiosa experiência está Phermad (aliás, Fernando Madeira, que também já foi "Fermad"), e por trás dele está a Delegação Regional de Faro do Instituto Português da Juventude, que, como se pode ler no texto de apresentação escrito por Sara Gomes Brito, "aderiu ao desafio de apoiar a edição/publicação da revista 24h Volta a Portugal em BD".

Eu escreveria antes "aderiu ao desafio de apoiar a edição/publicação deste bastante imaginativo fanzine". E porquê?

Porque um fanzine é um objecto artístico/literário, cultural, independente, que ainda há quem apelide erroneamente de revista, coisa diametralmente oposta: uma revista é um objecto de índole geralmente comercial, cujos editores pagam aos colaboradores e esperam retorno lucrativo, ou seja, algo com compromissos e especificidades organizativas que os fanzines (felizmente) não têm.

Vilamoura, bd autoconclusiva por José Carlos Fernandes

O Phermad, como é do Algarve, conseguiu a participação de José Carlos Fernandes, um dos algarvios de maior prestígio da banda desenhada portuguesa (o outro é Jobat).
Serra da Estrela, bd autoconclusiva de Phermad

Phermad fez uma outra banda desenhada para este fanzine, intitulada Serra de Monchique, que muito tem a ver com alguém que vive (e, salvo erro, nasceu) no Algarve.

24h Volta a Portugal em BD
Maio Jovem 2006

Edição de:
Instituto Português da Juventude
Delegação Regional de Faro
Rua da PSP
8000 Faro
Telf. 289891920

Terminal - fanzine de bd
www.drmakete.com/terminalstudios

Apartado 348
8000 Faro

Tiragem: 300 ex.
Maio 2006
-----------------------------------------------
Deste fanzine há ainda a reprodução de uma das suas variadas bandas desenhadas (a que foi criada graficamente por Nuno Sarabando, sob argumento de Hugo de Jesus), no blogue
Divulgando Banda Desenhada, cujo endereço é o seguinte:
http://divulgandobd.blogspot.com

11 Comentários:

Às 10:44 da tarde , Anonymous drmakete disse...

Obrigado pela força!
Continuação de bons projectos!

cumprimentos.

 
Às 7:40 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Continuação também dos projectos que você tem desenvolvido, sendo o fanzine Terminal a origem do seu aparecimento na cena bedéfila algarvia. Que continua a acontecer com outras iniciativas, como foi o caso destas 24h de BD.
Quando é que voltará a acontecer um evento bedéfilo, como houve no tempo em que o Ferman (jornalista Fernando Vieira) e Gibat (Prof. Gil Batista) mexiam aí os cordelinhos da BD?

 
Às 6:58 da tarde , Anonymous Serafim disse...

Pois é, se não é o nosso amigo Fernando isto aqui pelas Algarves pouco mexe em termos de bd.
Mas ele promete mais e a gente tá com ele!

 
Às 10:40 da manhã , Blogger tonsdeazul disse...

Eu estive lá. A fanzine está excelente, continuem!! :p

 
Às 10:43 da manhã , Anonymous Lua_na disse...

Ideias não lhe faltam, iniciativa tem muita e vontade ainda mais... os apoios é que nem sempre surgem da melhor forma. O IPJ está de Parabéns por ter apoiado a iniciativa e qto ao Phermad... q nunca desista de lutar por aquilo em que acredita.

bons projectos :)

 
Às 10:58 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Olá amigo (ou amiga) "Tons de Azul". Agradeço a participação através do seu comentário. Gostaria que visitasse o "post" inicial deste blogue dedicado aos fanzines, e lesse com atenção os argumentos daquele que, provavelmente, possui a maior colecção de fanzines portugueses de banda desenhada, colecção essa iniciada em 1972, de forma a entender que o neologismo fanzine é do género masculino, visto que a palavra originou-se da expressão "um magazine feito por un fã", dando como resultado a contracção da palavra "fã" (fan) com a terminação "zine" de fanzine.
Já agora: se for editor de um fanzine, ou tenha conhecimento de algum que seja editado perto de si, agradeço que me dê conhecimento, para eu poder registá-lo na minha lista e dar aqui notícia do facto.

 
Às 5:05 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Olá Tons de Azul. Mal vi esse pseudónimo achei-o bonito, agora que visitei o seu blogue percebo melhor: você é poetisa (poeta, se prefere).
Já vi que é amiga do Phermad (o seu elogio à voz dele é tb de admiradora), e se calhar foi dele que herdou essa asneira da moda que é dizer "a fanzine". Como poetisa (ou prefere poeta? Já ouvi mulheres defenderem essa uniformazação tipo igualdade), parto do ,princípio que é uma pessoa culta e entenderá que uma palavra cuja etimologia tem raiz na palavra magazine (do género masculino) só pode ser também de igual género.
Espero que leia ainda esta resposta, embora isso seja pouco provável.

 
Às 1:10 da tarde , Anonymous drmakete disse...

Viva Geraldes Lino!
Está sempre em cima do acontecimento e não lhe escapa nada.
É bom educar esta juventude que o termo correcto é "o fanzine".
Obrigado ao pessoal pelo apoio à "9ªcausa".

 
Às 2:23 da tarde , Blogger tonsdeazul disse...

Olá Geraldes Lino!
Agradeço as suas observações ao meu comentário e também ao meu blogue. Concerteza que não tropeço mais na fanzine, mas sim no fanzine!
Quanto a ser poetisa ou poeta, digo apenas que não me considero como tal. :)

 
Às 8:29 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Olá Tonsdeazul
Fica-lhe bem esse tom quase envergonhado quando não se considera poetisa (poeta?). Mas deixe-me que lhe diga: em todas as actividades artísticas, e não só, há diversos níveis de talento, o que não impede de se considerar quem desenha, desenhador, quem pinta, pintor, quem escreve poemas, versos, ou prosa poética, poeta e/ou poetisa.
Como é o seu caso.

 
Às 8:36 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Olá drmakete (ou fermad, ou Phermad), será que anda a fazer concorrência ao Fernando Pessoa?
Grato pela sua visita a este meu novo blogue, onde registei a sua estupenda iniciativa (em Beja houve uma com vagas semelhanças, de que aqui dei notícia).
Você é o digno sucessor do outro Fernando (jornalista Fernando Vieira) que, em Portimão, durante uns anos, pugnou pela banda desenhada em geral e pelos fanzines em particular.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial