fanzines de banda desenhada

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Língua portuguesa em mau estado na Banda Desenhada, no Cartoon, na Internet e nos Fanzines (XIII) - Fanzine, sinónimo de "acto de simpatia"? Absurdo!

É um facto que a palavra fanzine intriga muitos adultos, e é deturpada pelos jovens desta geração.
Constato, com cada vez maior frequência que, ao falar de fanzines - e tenho-o feito em palestras, colóquios, mesas redondas, "workshops" -, quando a audiência é de adultos, a reacção mais frequente é a de ignorância do que é um fanzine. Se quem me está a ouvir é duma camada jovem, o mais habitual é que comecem a dizer "as fanzines".
Ora como por várias vezes tenho escrito, o neologismo fanzine (que já existe em Portugal desde 1972, data da edição dos nossos primeiros fanzines) tem a ver com a noção de se tratar de "um magazine editado por um, ou uma, fã (fan, em língua inglesa). Portanto, está implícito o género masculino.
Apercebi-me do erróneo uso do feminino (e de vários erros crassos, tipo "estava-mos", "haviam" músicos na América "á" muitos anos, e quejandas "pérolas" ortográficas) nos fanzines dedicados à música pop, editados por jovens potenciais músicos.
Monologuei comigo próprio: "Estes bacanos podem saber muito de música, mas são muito maus em português".
Todavia, como não os conhecia, e não eram da área da banda desenhada, não interferi.
Venho hoje falar deste erro, e de fanzines de músicos, por ter lido no jornal gratuito Sexta, de hoje, sexta-feira, uma entrevista com António Manuel Ribeiro, líder dos UHF, que, após contar a situação desagradável do agressivo assédio que está a sofrer por parte de uma fã, que aparece à porta dele, no café que ele frequenta, etc., e lhe envia dezenas de mensagens sms para o telemóvel dele e do da banda, acaba por dizer a seguinte insólita frase:
"Há muito tempo que isto não tem nada a ver com música ou com fanzine - é uma patologia".
Ora cá está, se calhar (pelo desconhecimento que manifesta em relação ao neologismo "fanzine") um dos tais músicos que terá contribuído para o tal erro actualmente constatável na língua portuguesa, mesmo se em França, em Espanha ou no Brasil se escreve "un fanzine", "los fanzines" ou "um fanzine", respectivamente.
Se as palavras deste bloguista e fanzinista suscitarem dúvidas, basta escrever na barra do google a palavra "fanzines", e logo poderão confirmar a razão que me assiste.
-------------------------------------------------
Mais considerações acerca desta adulteração do vocábulo fanzinepodem ser lidas no meu outro blogue Divulgando Banda Desenhada, no endereço:
http://divulgandobd.blogspot.com/

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial