fanzines de banda desenhada

segunda-feira, setembro 21, 2015

Fígado da República, O



O Fígado da República é o título de um fanzine faneditado por José Smith Vargas, autor de BD nas horas vagas, com muito talento e invulgar cultura.
Este último factor fez com que se tivesse interessado por uma obra praticamente desconhecida de Raul Brandão, "Os Operários" (parte da tetralogia "A História Humilde do Povo Português"), e que tivesse seleccionado excertos que adaptou à linguagem gráfico-literária da banda desenhada.

Na Parte 1 do fanzine, Smith Vargas ilustrou parcialmente dois temas. 

O que ocupa as primeiras páginas do fanzine  intitula-se "O Operariado e os Governos Republicanos", cujas quatro pranchas ficam reproduzidas no topo da postagem, antecedidas pela capa do zine.

O segundo excerto, sem título e com interferência do fanzinista e banda-desenhista, compõe-se de seis pranchas, cuja acção decorre em Abril de 1918, em Fornalhas Velhas. A principal personagem António Gonçalves Correia, fundador de uma comuna no Alentejo, no extremo da freguesia do Vale de Santiago. Inicialmente, faziam parte da comuna quinze agregados, entre os quais cinco mulheres, que praticavam nudismo. "Tudo nuzinho em pêlo", como diz um aldeão que os observa.

Como se depreende, a existência desta comunidade causou celeuma, mas a sua acção prática e generosa acabou por captar o respeito por parte da população mais pobre, enquanto que os poderosos lhes movem guerra.

Ficha técnica
O Fígado da República
Excertos ilustrados de Os Operários, de Raul Brandão
Formato do fanzine: A4
Miolo: 12 páginas a preto e branco
Autor da adaptação literária e dos desenhos: José Smith Vargas
Editor: José Smith Vargas
Data: Sem data indicada, mas sob a última vinheta da 4ª prancha consta 2010. Todavia, por informação do editor, o fanzine foi editado em 2011 

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial