fanzines de banda desenhada

terça-feira, agosto 21, 2007

Fandaventuras - nº 11 - Fevereiro 2007

Prancha inicial da banda desenhada A Canção da Espada, de Reg Perrott

A parte principal do décimo-primeiro número do fanzine Fandaventuras compõe-se de duas bandas desenhadas de Reg (Reginald) Perrott, que até agora estavam inéditas em Portugal.
A primeira, num total de treze pranchas a cores, intitula-se The Song of the Sword (A Canção da Espada, na correcta tradução de José Pires); a segunda, intitulada Wings of Fortune (Asas da Fortuna, título em português nesta primeira publicação em Portugal), compõe-se de dez pranchas, a preto e branco.

Prancha inicial da banda desenhada Asas da Fortuna, de Reg Perrott

As duas obras em BD, de que no presente "post" se reproduz uma prancha de cada, e que se apresentam completas no fanzine sob análise, tiveram publicação inicial na revista inglesa de índole juvenil Mickey Mouse Weekly, isto no fim dos anos 1930, quando se pressentia já o deflagrar da II Guerra Mundial. Capa do fanzine Fandaventuras

Fandaventuras - nº 11 - Fevereiro 2007 - Formato A4 - Capa e contracapa em quadricromia; Miolo: 38 páginas, das quais 15 a cores; Tiragem: não indicada (12 exemplares, conforme informação de José Pires).

Director executivo: José Pires; Chefe de redacção e Coordenação: Jorge Magalhães; Arte e Grafismo: José Pires; Revisão de texto: José Menezes

[Editor: José Pires]

Rua da Misericórdia, 111 - Lisboa

------------------------------------------------- Para quem tiver curiosidade em observar, ampliadas, as duas últimas vinhetas (cena de tortura) da página reproduzida no topo deste "post", a solução é visitar o blogue Divulgando Banda Desenhada, no endereço http://divulgandobd.blogspot.com/

3 Comentários:

Às 7:25 da tarde , Blogger mmmnnnrrrg disse...

então este fanzine não era de Cascais? do Jorge Magalhães!?

 
Às 6:34 da tarde , Blogger Geraldes Lino disse...

Nunca foi bem assim. O José Pires é que, na maior parte dos casos, tem sido a força motriz destas edições, mas, por amizade, e porque o Jorge Magalhães, e a mulher dele, a Catarina (outras vezes Catherine) Labey também colaborava, e eles moram em Cascais, o Pires arranjava-lhes sempre funções, como aliás continua a fazer para o Magalhães, para o Américo Coelho (que lhe empresta as revistas inglesas de onde ele tira as melhores imagens) e por isso ele põe lá esses nomes todos, com funções de directores executivos, etc., mas não indica editor (que é ele, e por isso eu escrevo-lhe o nome entre parêntesis rectos, porque eu sei isso, mas não está lá escrito). Mas ele, José Pires, é que avança com o trabalho principal (limpar as páginas do Mosquito ou do Puck, adaptar, por vezes inventar, as legendas, etc.). E o Pires vive em Lisboa, mas não quer que eu ponha a morada dele, pediu-me para eu pôr a da loja onde os fanzines estão à venda.

 
Às 4:51 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

poder-me-ia fazer o faor de indicar o nov vendedor das edições de JOSÉ PIRES uma vez que a loja das colecções está fechada devido ao falecimento do Castanheira Silveira? agradecia.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial